2017/08/04

A soberania de Deus

Texto: Romanos 9.14-29

 Boa noite irmãos… esta noite quero falar sobre a soberania de Deus. Retomando então Rm.9 Paulo trata de um assunto que é básico a crença biblica e ao louvor biblico. E todo cristão deve ter conhecimento desta doutrina biblica.

A Soberania é uma característica de Deus, faz parte da Sua essência. Quando entendemos e reconhecemos a soberania de Deus, passamos a entender uma série de outras coisas na vida. Muito da incompreensão de coisas que estão escritas na Bíblia, é a causa do problema de pessoas não aceitarem o fato de que Deus é soberano.

A soberania significa que eu tenho de me humilhar diante de Deus e reconhecer que Deus é tudo e eu sou nada. Se a pessoa não reconhece que Deus é Soberano, como ela poderá entender quando Tiago diz "alegrem-se por passar provações na vida"? Ou, então, como posso ser salvo sem fazer nada?

 O pregador Spurgeon deleitava-se em proclamar esta grande doutrina e podia proclamá-la tão bem quanto qualquer outro que conhecemos. O leitor fará bem em considerar diligentemente o seguinte parágrafo escrito por esse príncipe entre os pregadores:

"Não existe atributo de maior conforto aos Seus filhos que o da soberania de Deus. Nas condições mais adversas, em provações mais severas, eles crêem que a soberania ordenou as aflições, que a soberania os governa, e que a soberania os santificará.

Ao mesmo tempo não há doutrina tão odiada pelos mundanos, doutrina tão maldita, quanto esta grande, estupenda, tão certa doutrina da soberania de Deus. Os homens permitem que Deus esteja em qualquer lugar menos no Seu trono. Permitem que Ele esteja em Sua instituição de caridade dispensando esmolas e outorgando bênçãos.

 Eles permitem que fique em sua oficina modelando mundos e fazendo estrelas. Eles permitem que Ele sustente a terra e os pilares dela, ou os luminares dos céus, ou que Ele governe sobre as ondas do incansável mar; mas quando Deus ascende ao Seu trono, Suas criaturas rangem os dentes e quando proclamamos um Deus entronizado e Seu direito de fazer como bem quiser com os seus, dispor de Suas criaturas se quiser sem consultá-las sobre o assunto, então é que os homens se fazem de surdos."

 Define-se a Soberania de Deus como o exercício de Sua supremacia. Deus é o Ser supremo e independente. Somente Ele, em todo o universo, tem o direito e o poder de fazer absolutamente o que Lhe agrada. Não há perigo de Deus perder Seu trono, nem precisa da permissão de ninguém para reinar. Ele é o único que tem o direito de agir para Sua própria glória. A soberania de Deus significa que Ele faz o que Lhe agrada. Deus tem controle sobre tudo de acordo com Sua vontade e para o louvor de Sua glória.

"Tudo o que o Senhor quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos". Salmo 135:6. "Mas nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou". Salmo 115:3 Ele age soberanamente…

 SOBERANIA NA CRIAÇÃO

Deus agiu como Soberano em Sua obra da Criação. Ele não criou nada por necessidade, mas unicamente por Seu prazer soberano. E, ao criar, era livre para fazer o que era do Seu agrado. Não criou por causa das criaturas, pois a criatura deve existir para seu Criador e não o Criador para a criatura

O Senhor faz tudo com um propósito; até os ímpios para o dia do castigo. Provérbios 16:4

Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém. Romanos 11:36

 "Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas". Apocalipse 4:11.

 SOBERANIA NA ADMINISTRAÇÃO

Deus é Rei Soberano em Seu universo. Ele está no controle de tudo, de todos, dos demônios e de Satanás. Ele reina em todo lugar como Lhe apraz. Não precisa pedir conselho a ninguém. Controla e dirige o reino da natureza. As Escrituras raramente usam a expressão "chove", antes lemos que Deus manda a chuva. Mateus 5:45. Atos 14:17. Jó 28:26.

Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações". Atos 14:17

Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos.
Mateus 5:45

Quando ele determinou a força do vento e estabeleceu a medida exata para as águas,
quando fez um decreto para a chuva e o caminho para a tempestade trovejante,
Jó 28:25,26

A Bíblia não atribui o retorno das estações às leis da natureza; entretanto ela diz que Deus muda os tempos e as estações. Ele muda as épocas e as estações; destrona reis e os estabelece. Dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos que sabem discernir. Daniel 2:21

Jó não falou de sua doença como sendo a causa de morte, mas olhou para Deus e disse: Sei que me farás descer até a morte, ao lugar destinado a todos os viventes. Jó 30:23

Em face de muitos inimigos que procuravam tirar-lhe a vida, Davi clamou ao Senhor dizendo: "Os meus tempos estão em tuas mãos". Salmo 31:15.

E existem exemplos do controle de Deus e Sua direção sobre as criaturas irracionais. Ele fechou a boca dos leões para que não ferissem a Daniel. Ele fez as vacas deixarem as crias, algo contra as leis da natureza, e dirigirem-se a Israel levando a arca de Deus. 1 Samuel 6:12.

Deus também controla os homens, sejam eles bons ou maus, individual ou coletivamente. Sobre os ímpios, Ele exerce o poder de refrear. Ele não permite que façam tudo o que a sua natureza gostaria de fazer. Deus disse a Abimeleque: "Eu te tenho impedido de pecar contra mim; por isso não te permiti tocá-la". Gênesis 20:6.

Quantas vezes se diz que Deus não infringirá no livre arbítrio do homem. Mas se Deus não houvesse controlado o coração de Abimeleque, esse rei pagão teria ofendido a Sara. Sim, O coração do rei é como um rio controlado pelo Senhor; ele o dirige para onde quer. Provérbios 21:1.

Deus estava controlando e dirigindo a vontade de Ciro, rei da Pérsia, quando ele ordenou a construção do templo em Jerusalém. Esdras 1. Deus estava controlando e dirigindo Tito e seu exército na destruição de Jerusalém. A Bíblia o chama de "seus exércitos" em Mateus 22:1-7

SOBERANIA NA SALVAÇÃO

Com isto queremos dizer que Deus não era obrigado a salvar Suas rebeldes criaturas. Este Seu propósito de salvar foi completamente uma dádiva para o louvor de Sua graça. Ele poderia mandar todo pecador ao inferno e continuar sendo absolutamente justo.

A soberania na salvação também implica que Deus salva quem Ele desejar. "Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer". Romanos 9:18.

E era isso que eles irmãos que o apóstolo Paulo está trabalhando nesse texto que nós lemos. Alguns expositores insinuavam que o ensino de Paulo acerca da soberania de Deus da salvação tornava Deus injusto por conceder a uns assume de corte e ignorar outros, aplicando e a Eles sua santa irá.

1)    A misericórdia divina não é merecimento humano 14-16.

E então, que diremos? Acaso Deus é injusto? De maneira nenhuma! Pois ele diz a Moisés: "Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão". Portanto, isso não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus. Romanos 9:14-16

Paulo defende a justiça de Deus proclamando sua misericórdia, mostrando que aqueles que acusam Deus de cometer injustiça estão redundantemente equivocados, Uma vez que, quando se trata de salvar pecadores, Deus não se baseia em justiça, mas em misericórdia. Deus não deve misericórdia a nenhum homem. Por exemplo: as palavras ditas a Moisés revelou misericórdia enquanto as dirigidas a faraó apontou para o seu poder julgador.

Deus é glorificado tanto e sua misericórdia como da Vindicação da sua justiça. Como todos não merece nada além da ira, ninguém pode reivindicar a misericórdia como direito. Assim, Deus não é injusto quando deixa que alguns recebam ajusta recompensa por seus atos. Pois, embora ele deva punir o pecado não está sob nenhuma obrigação de exercer misericórdia. Não a base justa para se reclamar de Deus. Mateus 20.15

A eleição de Deus não provém da vontade ou do esforço de Jacó, nem de homem algum, isto é, não vem seus bons desejos ou ações, suas boas inclinações de obras, nem da previsão dessas coisas; vem puramente da misericórdia e boa vontade Deus.

2 ) Dar ao homem o que ele merece não é arbitrariedade ou injustiça de Deus. 17

Pois a Escritura diz ao faraó: "Eu o levantei exatamente com este propósito: mostrar em você o meu poder, e para que o meu nome seja proclamado em toda a terra". Romanos 9:17

Deus queridos irmãos não é injusto por dar aos homens o que eles merecem. A escolha de alguns para vida eterna inevitavelmente implica rejeição de outros, isso está no exemplo que foi dado entre Moisés e faraó, as mesmas escrituras que anunciam misericórdia Moisés anunciam também o poder de juizo a faraó.

Então com respeito a salvação, Deus deu a Moisés o que ele não merecia, e Deus de uma faraó quanto ao juízo o que ele merecia. Nisso não é justiça da parte de Deus irmãos, pois ele ignora alguns enquanto concede graça os outros. Ele tem o direito de fazer isso, porque não deve sua graça nenhum homem.

Nesse sentido o surpreendente nisso tudo, não é que uns sejam salvos e outros não, mas que pelo menos alguém se salve. Afinal de contas, perante Deus nenhum de nós merecem coisa alguma no seu juízo.

2)    Deus endurece os endurecidos e dá a eles o que merecem 18

Portanto, Deus tem misericórdia de quem ele quer, e endurece a quem ele quer.. Romanos 9:18

Deus nos mostra desse texto através do apóstolo Paulo queridos irmãos, que Deus endurece os endurecidos. Jamais haverá o caso de um indivíduo desejoso de ir a Cristo mesmo sendo rejeitado.  Os repobros, perversos, são aqueles que deliberadamente rejeitam a graça.

 Por isso, a doutrina da rejeição é a contrapartida da doutrina da eleição, pois a eleição de alguns implica inevitávelmente a rejeição de outros.

e, "pedra de tropeço e rocha que faz cair". Os que não crêem tropeçam, porque desobedecem à mensagem; para o que também foram destinados. 1 Pedro 2:8

Pois certos homens, cuja condenação já estava sentenciada há muito tempo, infiltraram-se dissimuladamente no meio de vocês. Estes são ímpios, e transformam a graça de nosso Deus em libertinagem e negam Jesus Cristo, nosso único Soberano e Senhor. Judas 1:4

Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, pois assim foi do teu agrado. Mateus 11:25,26 Essas duas doutrinas permanecem em pé ou caem juntas.

O que Paulo está tentando dizer irmãos, é que assim o homem entra no céu inteiramente pela graça e vai para o inferno inteiramente por causa do seu pecado, nós não vemos na palavra de Deus e em nenhum lugar,  Deus enduressendo alguém que já não tenha endurecido a si mesmo.

Tomamos por exemplo novamente a vida de faraó. Está muito claro nas escrituras que faraó endurece o seu coração contra Deus e reiteradas vezes recusou arrependesse. Consequentemente o gesto de Deus ao endurecendo foi um ato de juízo, abandonando a própria obstinação, da mesma forma que a ira de Deus contra os ímpios se expressa entregar-los a própria depravação.

Então queridos irmãos o endurecimento é uma reação de Deus a dureza do coração humano Deus confirma Estela uma situação que não foi ele quem criou o endurecimento é o juízo de Deus sobre o pecado, e não uma decisão arbitrária de Deus em relação endivido com vistas a excluído da salvação e da condenação. Então espantoso não é o fato de Deus combinar o pecador por sua justiça, mas de Deus salva-lo por sua graça.       

E a partir do verso 19 então, nós vemos uma atitude insolente do homem contra Deus em quichar-se de Deus e Paulo então ele tratar dessas queixas com cinco verdades importantes.

1-    É que Deus tem o direito de fazer o que lá pras com suas criaturas. 9.19-21 

Mas algum de vocês me dirá: "Então, por que Deus ainda nos culpa? Pois, quem resiste à sua vontade? "

Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? "Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: 'Por que me fizeste assim? ' "O oleiro não tem direito de fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso? Romanos 9:19-21

Deus é o criador, e nós somos criaturas. Deus é Santo, e nós somos pecadores. Deus é soberano, que nós somos limitados. Deus é o goleiro, e nós somos o barro. E aí isso que as pessoas não entendem é por isso que as pessoas não não quer entre na soberania de Deus. Queixar-se de Deus é o cúmulo da petulância queridos irmãos, é o máximo da arrogância.

Assim como o pão não pode querer colocar-se no lugar do oleiro nem questionar-lo, também não podemos colocar nos no lugar de Deus nem por em xeque o seu direito absoluto e inalienável de dispor suas criaturas como lhe apraz. Deus tem o pleno direito de lidar com humanidade caída conforme queira, seja de acordo com a sua íra ou ou com a sua misericórdia.        

2) Deus tem o controle da vida do homem, e não um homem da vida de Deus.       20-21

Paulo queridos irmãos usar a figura do leite do pau para ilustrar autoridade Deus sobre as criaturas.  muitos torcem a cara para essa doutrina porque vivemos numa geração o mocinho clica e outro pular clica, que busca sofregamente substituir o criador pela criatura. O homem moderno besuntado de toda soberba quer destronara Deus e acender o seu trono. Aquele que não passa do pó e cinza quer arvoraste quanto criador e colocá-lo no banco dos réus para julgá-lo.

É Deus, contudo, quem está no controle de todas as coisas, e não a mim. Não é o homem que manipula Deus, é Deus quem molda o homem como oleiro faço com o barro.

É Deus, contudo, quem está no controle de todas as coisas, e não a mim. Não é o homem que manipula Deus, é Deus quem molda o homem como oleiro faz com barro. 

3)    Deus é glorificado tanto na salvação dos eleitos quanto na condenação dos réprobos

E se Deus, querendo mostrar a sua ira e tornar conhecido o seu poder, suportou com grande paciência os vasos de sua ira, preparados para destruição? Que dizer, se ele fez isto para tornar conhecidas as riquezas de sua glória aos vasos de sua misericórdia, que preparou de antemão para glória, Romanos 9:22-23

Os vasos de ir são os impenitentes, aquele esquecendo desceram eu foram edurecidos, aqueles que rejeitaram e foram rejeitados, aqueles atendeu suportou com paciência e quem manifestou poder do seu juízo. Os vasos de misericórdia são aqueles a quem Deus escolheu por sua graça para sobre eles derramar sua misericórdia e dar-lhes a riqueza da sua gloria.     

4)    Deus por sua graça da o que não merecemos.

ou seja, a nós, a quem também chamou, não apenas dentre os judeus, mas também dentre os gentios?

Como ele diz em Oséias: "Chamarei 'meu povo' a quem não é meu povo; e chamarei 'minha amada' a quem não é minha amada", Romanos 9:24,25

Paulo deixar bem claro aqui que existe mãos que a graça não é concedida por critério técnico, cultural ou religioso, pois Deus chama seus eleitos não só dentro judeus, mas também dentro gentios. Mesmo vivendo sem Deus no mundo ele nos tornou seu povo. Mesmo sendo inimigos de Deus ele nos fez amados.

Mesmo vivendo sem esperança e sem Deus no mundo, morto nos nossos delitos e pecados, Deus nos transformou em seus filhos, membros da sua bendita família.

5) deus escolhe por sua graça para salvação um remanescente fiel.27-29

Eleição da graça é para o remanescente. A salvação não é endereçada a todos os filhos de sangue de Abraão, mas o filho da promessa, não esqueçam israelitas por nascimento, mas aos que são crentes pelo novo nascimento.        

 

Nenhum comentário: