2014/06/25

SAL DA TERRA E LUZ DO MUNDO

Mateus 5.13-16

13 "Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens."

14 "Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte.

15 E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa.

16 Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus. 

I – INTRODUÇÃO

Queridos estamos entrando na última semana de nossa campanha de 40 dias de oração e Jejum eu particularmente entro nessa semana ainda mais motivado e desejoso de experimentar mais de Deus e o meu desejo para a sua vida é que você esteja tanto quanto eu motivado também.

Relembrando rapidamente o que vimos até aqui nessa série de sermões, vimos:

Na primeira semana que o cristão verdadeiro é nascido de novo e ouve a voz de seu pastor e obedece,

Na segunda semana vimos que se quisermos ter um compromisso sério com Deus precisamos morrer para o pecado e viver para Deus, precisamos ter uma postura diferente,

Na terceira semana fomos desafiados a crescer espiritualmente porque o padrão do viver do cristão é elevado é por isso que temos que adquirir maturidade espiritual, Deus espera isso de nós.

Na quarta semana aprendemos que o verdadeiro cristão ama a Deus e também o seu próximo e tem o amor como base de seus relacionamentos e esse amor deve ser incondicional.

Domingo passado aprendemos que o viver cristão deve ser vivido na dimensão da suficiência de Deus é ele que nos capacitar a viver de forma digna e como ele faz isso nos dando a mente de Cristo colocando em nós o seu espírito.

Hoje o Senhor Jesus apresenta duas figuras que ilustram a influência do cristão no meio do mundo: Sal da Terra e Luz do Mundo. Sal e Luz são dois elementos essenciais para a vida natural, e assim como eles fazem diferença no mundo material, Nós deveremos fazer diferença no meio do mundo.

Eu e você temos um chamado e esse chamado é para que nós salguemos a vida de outros através do que Cristo tem feito em nós. Eu e você temos um chamado esse chamado é trazer a luz para aqueles que estão trevas.

Pastor traduz isso ai, pois bem, traduzindo eu e você temos uma missão dada por Deus, nós devemos influenciar as pessoas para o bem, trazer paz a um coração atribulado, esperança aqueles que estão desesperançados.

II - O CRISTÃO É SAL DA TERRA

"Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens. " Mateus 5.13

Logo apos a bem aventurança Jesus afirma que somos sal e luz, mostrando que o cristão deve ser um agente transformador da sociedade. O Cristão deve amar, orar e servir mesmo aqueles que o perseguem.

Champlin entendia que Jesus falava sobre o caráter do cristão: "A idéia geral é que o crente santificado deve possuir a realidade daquilo que professa". Isso tem a ver com integridade, o cristão tem que viver como cristão, senão ele perde o seu real valor e não serve para mais nada.
Champlin enfatizou:
"Provavelmente a idéia básica é que se o cristianismo não funcionar como deve, como é que o mundo, de modo geral, poderia receber qualquer coisa boa da graça de Deus?". É dever de cada cristão influenciar o mundo pela maneira como vive.

Em primeiro lugar Jesus afirma que somos sal. O Sal tem algumas funções e quero separar duas delas:

1.          O Sal Conserva

O Sal sempre foi utilizado para conservar alguns alimentos como carnes e peixes. Vivemos em um mundo cheio de corrupção que está num processo de deterioração social.

 A moral do mundo a cada dia se deteriora mais. A justice humana está num estado de putrefação. A espiritualidade humana está em decomposição, causada pela confusão de sistemas religiosos.

A igreja de Cristo está colocada no meio deste mundo para interromper ou pelo menos retardar este processo de deterioração. O Cristão que vive os princípios da Palavra de Deus é o sal que, através do seu contato com o mundo ajuda a transformar e conservar a dignidade do ser humano.

2.          O Sal dá sabor

Uma outra função do sal é dar sabor. Algumas pessoas enfrentam uma dieta que elimina o sal, e sentem o quanto é importante o sabor que ele produz.

O Cristão verdadeiro, é um instrumento de Deus para trazer alegria, paz, e esperança a um mundo cheio de desilusões, tristezas e decepções.

 O livro de Atos dos Apóstolos fala deste sabor que o cristão dá ao mundo: louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava diariamente os que iam sendo salvos. (2.47)

O Sal para fazer diferença tem que ter contato com os elementos. Cristo nos salva, transforma e nos coloca em contato com o mundo para transforma-lo. A salinidade do cristão é seu caráter que vive as bem aventuranças, e se manifesta em palavras e ações e transforma o mundo.

A terra precisa dessa influência conservadora, pois o mundo só não é pior do que já é, em todos os seus aspectos, graças à presença conservadora do sal que existe na vida daqueles que são verdadeiros cristãos.

O cristão deve ser sal ou seja deve ser agradável em todos os lugares e em todos os momentos da sua existência. A dureza da vida, a frieza do mundo, a indiferença das pessoas, a falta de sabor produzida pela violência e pela deterioração dos valores morais, só podem ser compensadas pela presença de um cristianismo autêntico. 

O ambiente oxigenado com a presença do cristianismo tem que ser o mais gostoso, o mais agradável e o mais saboroso possível.

O grande exemplo é a própria vida de Cristo, pois por onde ele passava havia transformação. Jesus sempre viveu de forma conservadora e transformadora. Jesus mudou os cenários da existência humana, transformou o cenário de morte em que o ser humano vivia em um cenário de vida. Que o cristianismo continue sendo o sal da terra.

E o que é o sal? Nós somos o sal e o nosso Testemunho de vida é o que provoca sede, que provoca o desejo nas pessoas de beberem da fonte da Palavra Divina.

Como sal, devemos produzir sede? I Pe. 2:12 diz: "tendo o vosso procedimento correto entre os gentios, para que naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, observando as vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação".

Veja que o nosso testemunho levará os gentios (não cristãos) a glorificarem a Deus. De forma inversa acontece com aqueles que não zelam pelo bom testemunho. Deus diz: "Por vossa causa o meu nome é blasfemado entre os gentios".

Está em nossas mãos o dever de gerar sede de conhecimentos; sede de Deus, sede da Palavra. Para tanto, é necessário estar preparado, afiado com a Espada de dois gumes; apto a ensinar, a corrigir e instruir obedecendo ao "ide..." do Grande Mestre quando diz... "Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado...". Mt. 28:20.

Vivendo os princípios da Palavra de Deus, naturalmente estaremos influenciando as pessoas ao nosso redor, e a medida que Deus nos usa para discipular as pessoas, mais estaremos funcionando como sal da terra.

III - O CRISTÃO É LUZ DO MUNDO

14 "Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte.

15 E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa.

16 Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus.  Mateus 5.14-16

O mundo além de estar em estado de deterioração, está também em trevas. Que terrível a situação de alguém que está em trevas. Não vê nada, e não sabe para onde vai. O mundo está assim, e precisa de luz.

Jesus disse que Ele mesmo é a luz do mundo (Joao 8.12), e que Ele nos dá a mesma luz quando habita em nós.  Pois Deus, que disse: "Das trevas resplandeça a luz", ele mesmo brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo. II Coríntios 4.6

Cada cristão é um instrumento de Deus para irradiar a Luz de Cristo no meio do mundo em trevas.

Isso significa que o crente precisa viver a vida cristã de forma clara. Não pode se tornar um agente secreto do reino de Deus, visto que um verdadeiro discípulo de Cristo jamais pode se esconder da sua responsabilidade de brilhar. 

A luz serve de guia para as pessoas, sendo assim o verdadeiro cristão deve ser como um luzeiro nas trevas a iluminar o caminho que deve ser seguido.

Todos sabem o quanto é difícil andar no escuro, porém quando as luzes estão acesas fica tudo mais fácil. Assim deve ser a vida do cristão, ele deve refletir a boa luz de Cristo, dissipando assim toda treva e permitindo que as pessoas andem com tranquilidade sem a possibilidade de se ferirem.

A luz serve como sinal de advertência. Quando se viaja a noite e passa-se por locais perigosos, nota-se que sempre são sinalizados com luzes. A vida cristã também deve ser um sinal de advertência para todos aqueles que andam por caminhos perigosos. O cristão precisa servir de alerta.

3.          Não podemos esconder a luz.

O texto também diz que está luz tem que ser vista por todos os homens. Não há lugar para um cristão escondido. A luz para ser efetiva tem que ser colocada num lugar apropriado.

Da mesma forma que uma lâmpada não pode brilhar se não estiver conectada a uma fonte de energia, o cristão não pode brilhar se não estiver ligado à pessoa de Jesus Cristo, visto que não tem luz própria, a luz que ele tem é reflexo da fonte de luz que é Jesus Cristo. Necessário é que esteja sempre ligado a Cristo para que a sua luz brilhe.

O cristianismo é algo que deve ser visto. Não existe discipulado se­creto. Ou o sigilo destrói o discipulado ou este destrói o sigilo.

O verdadeiro cristianismo é visível a todos. Não é visível apenas na igreja. Um cristão, cuja influência termine na porta da igreja ou on­de termina a comunidade religiosa, não é de grande utilidade.

A visibilidade do cristianismo deve ser evidente em todas as ativi­dades da vida cotidiana. É visível na maneira como encomendo uma refeição no restaurante, no modo como trato aqueles com quem moro, na maneira como me relaciono com os colegas de trabalho, na forma como uso minha língua, como participo de jogos ou dirijo meu carro, enfim, em tudo que faço ou deixo de fazer.

O cristianismo desconhece dias de folga ou lugares isentos. É um modo visível de viver para todos verem. Certamente verão mesmo. E ao verem, estarei exposto como um hipócrita literalmente fazendo de conta ou como seguidor de Cristo.

4.          Nossas boas obras refletem a luz.

A luz de Cristo é manifestada nos seus seguidores, através das suas boas obras. O Cristão que vive as bem aventuranças e os demais princípios que Cristo ensinou, naturalmente estará realizando boas obras, e o resultado será Gloria para Deus.

As boas obras do cristão não são somente boas, são formosas e atrativas. Há um encanto na bondade do cristão. Há uma bondade que atrai. Há certo encanto na bondade cristã que a torna encantadora.

2. Notemos que nossas boas obras atraem a atenção não a nós, mas a Deus.

Em uma conferência em que estava presente o evangelista D. L. Moody havia alguns jovens que tratavam sua fé de maneira séria. Numa noite tiveram uma vigília de oração.

Quando chegaram de manhã se encontraram com D. L. Moody, que lhes perguntou o que eles estavam fazendo. Eles responderam: "Senhor Moody, veja como brilha o nosso rosto". Moody contestou: "Moisés não sabia que seu rosto reluzia. A bondade que é consciente que chama atenção de si mesma, não é a bondade cristã".

Um historiador antigo escreveu acerca de Henrique V depois da batalha de Agincourt. Tão pouco permitiu que se fizessem canções, nem que cantassem acerca de sua gloriosa vitória, porque queria que todo louvor, glória e ações de graças fosse dado a Deus...

 O cristão nunca pensa no que ele faz, e sim no que Deus o capacita fazer. Nunca trata de atrair pessoas para suas ações para receber louvores, graças e prestígios que obteve pelo que fez este não é o caminho que o cristão busca.

Imaginem uma pessoa pobre de espírito que depende de Deus; sensível às necessidades dos outros; promovendo e fazendo atos de justice; ajudando os necessitados; vivendo com um coração puro; promovendo a paz entre os homens e Deus.

Este tipo de pessoa estará brilhando no meio das trevas e produzindo Gloria para Deus. O Apostolo Paulo afirmou: Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus. I Coríntios 10.31

A Bíblia diz: Fazei tudo sem murmurações nem contendas, para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo, Filipenses 2.14-15 (RA)

Nós resplandeceremos como luzeiros, vivendo os princípios da Palavra de Deus, manifestando o caráter de Cristo e Deus será glorificado.

 

IV – CONCLUSÃO

Todo cristão deve ter o caráter de Cristo refletir sua luz. Somos sal e luz e devemos fazer diferença no meio da sociedade.

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Paz irmão Marcelo, é muito importante pensarmos nesta mensagem, pois os versos dizem: vós sois...O sal é e sempre vai ser pelo menos enquanto estivermos aqui,importante para sobrevivência humana, assim como a luz é essencial para a vida do Planeta.E quando estes findarem acaba a existência humana.Se o crente deixar de ser o sal ou a luz, o diabo estraga tudo,nestes dias parece que o sal e a luz não estão a fazer o trabalho convenientemente,pois as trevas estão a agrupar-se e a confundir o povo perdido.Boa mensagem que Jesus continue a usá-lo em Suas mãos.Abraço.Peregrino E Servo.