2013/07/15

O poder do espírito santo na vida da igreja

Referência: Atos 1.1-14 e 2.1-47

INTRODUÇÃO

1. Existem várias igrejas nos Estados Unidos, Canadá e Europa que são chamadas "igrejas mortas". Estão mortas porque deixaram a fonte da vida. Sem o Espírito Santo a igreja morre. Sem o Espírito não há vida na igreja.

2. É possível a igreja hoje ser revestida com o poder do Espírito Santo? É possível sermos revigorados pelo poder do alto? É possível sermos tomados de uma profunda convicção de pecado e uma intensa sede de Deus?

3. Ao longo da história, várias vezes, Deus visitou o seu povo: a igreja primitiva, Valdenses, Reforma, Morávios, Puritanos, Missões, Avivamentos.

4. Vamos observar algumas verdades importantes do texto a qual lemos:

I. A PROMESSA DO ESPÍRITO SANTO – V. 4-8

1. O derramamento do Espírito é uma promessa do Pai – 1:4

• O profeta Joel já havia profetizado: "E acontecerá depois que derramarei do meu Espírito sobre toda carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões; até sobre os servos e sobre as servas derramarei o meu Espírito naqueles dias" (Jl 2:28,29).

• O derramamento do Espírito é para todos ele quebra a barreira do preconceito social, de idade e do sexo. Ele vem sobre todos. Jesus disse que enviaria o outro Parácleto, o Espírito Santo, para estar para sempre conosco. Jesus reafirma a promessa, quando Deus derramaria água sobre o sedento e torrentes sobre a terra seca.

2. O derramamento do Espírito é resultado de uma espera obediente – 1:4

• os discípulos deveriam permanecer na cidade até que fossem revestidos de poder (Lc 24:49). Talvez o último lugar que gostariam de ficar fosse Jerusalém, o palco de queda e fracasso na vida deles. Mas o cenário do fracasso deve ser o lugar da restauração.

• É mais fácil sair do que ficar. É mais fácil ser um ativista do que depender de Deus. É mais fácil confiar em nossa força do que no poder do Espírito Santo. Mas a ordem é capacitação do alto antes de ação na terra. Ilustração: A igreja do Evangelho Pleno em Seul – O pastor gasta 70% do seu tempo orando e meditando na Palavra.

3. O derramamento do Espírito é resultado da expectativa de uma vida de poder – 1:5,8; Lc 24:49

• O batismo com o Espírito Santo deu-se no Pentecoste, quando o Espírito veio para estar para sempre com a igreja. Agora, todos nós que cremos, somos batizados pelo Espírito Santo, no corpo de Cristo. Com o batismo do Espírito, veio também o revestimento de poder.

• Devemos igualmente esperar uma vida de poder. O evangelho é o poder de Deus. O Reino de Deus consiste não de palavras, mas de poder. Foi essa sede de poder do alto que levou os homens santos de Deus a clamar.

• O evangelista Moody foi abordado por duas mulheres da igreja Metodista Livre. Estamos orando por você, disseram elas. Moody começa também a orar. Logo veio sua gloriosa experiência em Nova York. Ele disse que não trocaria esse enchimento do Espírito ainda que lhe dessem em troca o mundo inteiro.

• Mas poder para que?

a) Poder para sacudir o jugo do medo

b) Poder para tirar os olhos da especulação para a ação (At 1:6-8)

c) Poder para morrer (At 1:8)

d) Poder para perdoar (At 1:8)

e) Poder para ir além fronteiras (At 1:8)

f) Poder para pregar (At 1:8).

II. A BUSCA DO ESPÍRITO SANTO – 1:14

1. Havia unanimidade em oração – "Todos"

• Quando Jesus fez a promessa do derramamento do Espírito, a igreja não duvidou. Não colocou em segundo plano. Não deixou para depois. Todos os 120 discípulos buscaram um lugar de oração. Eles tinham uma só alma. Um só propósito: buscar o poder do alto.

2. Havia perseverança na oração – "perseveravam"

• Hoje, temos ânimo para começar uma reunião de oração, mas não temos fibra para continuar. É fácil ter entusiasmo quando as circunstâncias são favoráveis. Mas Deus busca em nós persistência.

• C. H. Spurgeon ao pregar sobre Atos 1:14 disse: "Como esperar o Pentecoste se nem ainda fomos despertados para orar? Primeiro, vem a igreja toda, unânime, perseverando em oração, só depois vem o Pentecoste".

• Estudem as Escrituras. Estudem a história da igreja e vejam se há um só exemplo de despertamento espiritual sem ser precedido por oração!

• Elias orou 7 vezes. A chuva desceu porque Elias subiu. Ele não desistiu, enquanto não viu o sinal da chuva torrencial de Deus descendo sobre a terra seca. Precisamos ser despertados para oração.

• Os discípulos oravam 10 dias. Poderiam ter orado um mês, um ano. Eles deveriam ficar em Jerusalém até que…

3. Havia concordância na oração – "Todos, perseveravam, unânimes em oração"

• Havia um só coração, uma só alma, um só clamor, uma só direção. A igreja estava unida pela mesma causa. Havia concordância entre os discípulos.

• Hoje há ajuntamento, mas pouca comunhão; há orações, mas pouca concordância; muita coreografia, mas pouco quebrantamento; muito movimento, mas pouca adoração; muita agitação, mas pouco louvor; muita verborragia, mas pouca unção.

• Jesus disse que dois na terra concordarem sobre qualquer coisa, isso lhes será concedido.

III. O DERRAMAMENTO DO ESPÍRITO SANTO – 2:1-12

1. O derramemento do Espírito Santo foi um fenômeno celestial – 2:1-4

• O Pentecoste não foi algo produzido, ensaiado, fabricado. Algo do céu verdadeiramente aconteceu. Foi incontestável, irresistível. Foi soberano, ninguém pôde produzi-lo. Foi eficaz, ninguém pôde desfazer os seus resultados. Foi definitivo: ele veio para ficar para sempre com a igreja.

a) O derramamento do Espírito veio como um SOM – Não foi barulho, algazarra, falta de ordem, histeria, mas um som do céu. O Pentecoste foi audível, verificável, público, reverberando sua influência na sociedade. Esse impacto atraiu grande multidão para ouvir a Palavra.

b) O derramamento do Espírito veio como um VENTO – O vento é símbolo do Espírito Santo. O vento é livre – ele sopra onde quer. O vento é soberano – ele sopra irresistivelmente. O vento é misterioso – ninguém sabe donde vem nem para onde vai. 

c) O derramamento do Espírito veio em línguas como de FOGO – O fogo também é símbolo do Espírito Santo. O fogo ilumina, purifica, aquece e alastra. 

d) O derramamento do Espírito produziu o fenômeno das línguas – Pentecoste foi o oposto de Babel. Lá as línguas eram ininteligíveis. Aqui, não há necessidade de interpretação. Lá eles enalteciam seus próprias nomes. Aqui eles falam as grandezas de Deus.

2. O derramamento do Espírito nos prova que os milagres abrem portas para o evangelho, mas não é o próprio evangelho – v. 7, 12,13

• Três foram as reações ao milagre do derramamento do Espírito Santo:

a) Ceticismo – v. 12;  b) Preconceito – v. 7;   c) Zombaria – v. 13

• O milagre em si não pode transformar a multidão, mas atraiu essa mesma multidão para ouvir a Palavra de Deus. Quando Pedro começou a pregar, o coração do povo começou a derreter. 

• Naquele dia o apelo não partiu do pregador, mas do auditório.

3. O derramamento do Espírito traz uma experiência pessoal de enchimento do Espírito Santo – 2:4

• Aqueles discípulos já eram salvos. Por três vezes Jesus havia deixado isso claro (Jo 13:10; 15:3; 17:12). Paulo declarou: "Se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele" (Rm 8:9).

Jesus disse que quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino (Jo 3:5). Jesus já havia soprado sobre eles o Espírito Santo (Jo 20:22).

• Mas a despeito de serem regenerados pelos Espírito e de receberem o selo do Espírito, eles ainda não estavam cheios do Espírito. Uma coisa é ter o Espírito, outra é ser cheio do Espírito. Uma coisa é ter o Espírito presente, outra é ter o Espírito presidente. Você que tem o Espírito, está cheio do Espírito?.

• A experiência da plenitude é pessoal (At 2:3-4). Logo que eles ficaram cheios do Espírito começaram a falar as grandezas de Deus (v. 11). Sempre que alguém estava cheio do Espírito começava a pregar (Atos 1:8; 2:4,11,14,41; 4:8,29-31; 6:5,8-10; 9:17-22; 1 Ts 1:5; 1 Co 2:4).

• A plenitude do Espírito nos dá poder para pregar com autoridade

1. Bill Hybes em um dos seus livros pergunta: "Qual é a igreja mais importante do mundo?" É a igreja que Deus está edificando dentro de você. 

2. Quais são as marcas dessa igreja que ainda hoje pode abalar o mundo? Para responder essa pergunta, precisamos olhar não para as igrejas contemporâneas, mas para a igreja mãe, para a igreja de Jerusalém.

3. Aquela igreja possuía algumas marcas:

1) Ela se reunia no templo e de casa em casa;

2) Ela tinha profundo compromisso com a doutrina e também uma celebração festiva;

3) Ela era profundamente engajada em ação social (horizontal) e também na oração (vertical);

4) Ela não apenas evangelizava, mas também fazia discípulos;

5) Ela tinha grande comunhão dentro dos muros e também a simpatia dos de fora. 

4. Hoje vemos igrejas que revelam grandes desequilíbrios: As igrejas que zelam pela doutrina, não celebram com entusiasmo. As igrejas ativas na ação social desprezam a oração. Aquelas que mais crescem em número mercadejam a verdade. 

5. Vamos olhar para a igreja de Jerusalém como nosso exemplo e modelo:

I. UMA IGREJA QUE TEM ZELO PELA TEOLOGIA

1. Firmeza doutrinária – v. 42

• A igreja de Jerusalém nasceu sob o bastão da verdade. A igreja começa com o derramamento do Espírito, a pregação cristocêntrica, cheia de autoridade e a permanência dos novos crentes na doutrina dos apóstolos. Ao longo da história houve muitos desvios da verdade: Deus tem compromisso com a sua Palavra. Ele tem zelo pela sua Palavra. Uma igreja fiel não pode mercadejar a Palavra.

1. Uma igreja cheia do Espírito Santo tem compromisso com a Palavra de Deus – v. 42 Eles tinham prazer de estudar a Palavra. Eles tornaram-se crentes firmes nas Escrituras. Eles perseveravam na doutrina dos apóstolos.

2. Perseverança na oração – v. 42

• A igreja de Jerusalém não apenas possuía uma boa teologia da oração, mas efetivamente orava. Ela dependia mais de Deus do que dos seus próprios recursos.

a) Atos 1:14 – Todos unânimes perseveravam em oração; b) Atos 3:1 – Os líderes da igreja vão orar às 3 horas da tarde; c) Atos 4:31 – A igreja sob perseguição ora, o lugar treme e o Espírito desce; d) Atos 6:4 – A liderança entende que a sua maior prioridade é oração e a Palavra; e) Atos 9:11 – O primeiro sinal que Deus deu a Ananias sobre a conversão de Paulo é que ele estava orando; f) Atos 12:5 – Pedro está preso, mas há oração incessante da igreja em seu favor e ele é liberto miraculosamente; g) Atos 13:1-3 – A igreja de Antioquia ora e Deus abre as portas das missões mundiais; h) Atos 16:25 – Paulo e Silas oram na prisão e Deus abre as portas da Europa para o evangelho; i) Atos 20:36 – Paulo ora com os presbíteros da igreja de Éfeso na praia; j) Atos 28:8-9 – Paulo ora pelos enfermos de ilha de Malta e os cura.

2. Uma igreja cheia do Espírito tem prazer na vida de oração – v. 42 Uma igreja cheia do Espírito ora com fervor e constância. É impossível ser uma pessoa cheia do Espírito e não ter vida de oração.

• A igreja hoje fala de oração, mas não ora.

3. Havia temor de Deus na igreja – v. 43

• Hoje as pessoas estão acostumadas com o sagrado. Há uma banalização do sagrado. Há uma saturação, comerciliazação e paganização das coisas de Deus – Os filhos de Eli.

• Quem conhece a santidade de Deus não brinca com as coisas de Deus – Dn 5.

• Atos 5 – O pecado da mentira foi punido com a morte.

• Há crentes que fazem piada com as coisas de Deus. Não há temor.

4. Havia presença da intervenção extraordinária de Deus – v. 43

•Uma igreja cheia do Espírito teme a Deus e experimenta os seus milagres – v. 43 Uma igreja cheia do Espírito é formada por um povo cheio de reverência. Ela tem compreensão da santidade de Deus. Ela se curva diante da majestade de Deus. Ela tem a agenda aberta para as soberanas intervenções de Deus. Ela crê nos milagres de Deus.

A manifestação extraordinária de Deus estava presente na vida da igreja: a) Atos 3 – O paralítico é curado; b) Atos 4:31 – O lugar onde a igreja ora, treme; c) Atos 5:12,15 – Muitos sinais e prodígios são feitos; d) Atos 8:6 – Filipe realiza sinais em Samaria; e) Atos 9 – A conversão de Saulo é seguida da sua cura; f) Atos 12 – A libertação de Pedro pelo anjo do Senhor; g) Atos 16 – O terremoto em Filipos; h) Atos 19:11 – Deus pelas mãos de Paulo fazia milagres; i) Atos 28:8-9 – Deus cura os enfermos de Malta pela oração de Paulo. 

• Hoje há dois extremos na igreja: aqueles que negam os milagres e aqueles que inventam os milagres.

II. UMA IGREJA QUE TEM ENTUSIASMO NO CULTO

1. A igreja tinha prazer de estar na Casa de Deus – v. 46

• O culto era uma delícia. Eles amavam a Casa de Deus (Salmo 84 e 27:4).

• Uma igreja viva tem alegria em estar na Casa de Deus para adorar. 

• A comunhão no templo é uma das marcas da igreja ao longo dos séculos.

2. O louvor da igreja era constante – v. 47

Uma igreja cheia do Espírito que adora a Deus com entusiasmo – v. 47 Uma igreja cheia do Espírito canta com fervor. Ela louva a Deus com entusiasmo. Ela louva a Deus de todo o coração e bane do seu meio toda murmuração. Uma igreja alegre, canta. Os muçulmanos são mais de um bilhão. Eles não cantam.

• Uma igreja viva tem uma louvor fervoroso, cantagiante, restaurador, sincero, verdadeiro.

• O louvor que agrada a Deus tem sua origem em Deus, tem seu propósito de exaltar a Deus e como resultado produz quebrantamento nos corações.

3. A alegria da igreja era ultracircunstancial – v. 46

• A igreja transbordava de alegria:

a) Atos 5:40-42 – Os apóstolos são açoitados pelo sinédrio e retiraram-se regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas pelo nome de Jesus;

b) Atos 6:15 – Estevão na hora da morte vê a Jesus e seu rosto transfigura-se como rosto de anjo;

c) Atos 13:52 – Os discípulos em Antioquia da Pisídia, mesmo perseguidos, transbordavam de alegria e do Espírito Santo.

• Uma igreja que mistura o sofrimento com adoração.

III. UMA IGREJA QUE VALORIZA A COMUNHÃO

1. Os crentes tinham prazer de estar juntos – v. 42,44,46

• Uma igreja cheia do Espírito tem profunda comunhão – v. 42,44,45,46 Uma igreja cheia do Espírito é um lugar onde os irmãos se amam profundamente. Eles gostavam de estar juntos (v. 44). Eles partilhavam seus bens (v. 45). Eles gostavam de estar na igreja (v. 46) e também nos lares (v. 46b). Havia um só coração e uma só alma.

 Onde desce o óleo do Espírito, aí há união entre os irmãos; aí ordena o Senhor a sua bênção e a vida para sempre (Sl 133).

• Cessam as brigas, as contendas; brota o perdão e a cura.

• Todos estavam juntos. Partiam pão de casa em casa. 

• Eles se reuniam no templo e também nos lares.

2. Os crentes eram sensíveis para ajudar os necessitados – v. 44-45

• Os crentes converteram o coração e o bolso. 

• Desapego dos bens e apego às pessoas.

• Encarnaram a graça da contribuição.

• Quem não ama a seu irmão, não pode amar a Deus.

IV. UMA IGREJA QUE PRODUZ IMPACTO NA SOCIEDADE

1. Pelo seu estilo de vida contava com a simpatia de todo o povo – v. 47

• A igreja era comprometida com a verdade, mas não legalista;

• A igreja era santa, mas não farisaica;

• A igreja era piedosa, mas não com santorronice;

• Os crentes eram alegres, festivos, íntegros. Eles contagiavam. 

• O estilo de vida da igreja impactava a sociedade: melhores maridos, melhores esposas, melhores filhos, melhores pais, melhores estudantes, melhores profissionais.

2. Pela ação soberana de Deus, experimentava um crescimento numérico diário – v. 47

• Uma igreja cheia do Espírito é uma igreja que tem a simpatia dos homens e a bênção do crescimento numérico por parte de Deus – v. 47 Essa igreja é simpática, amável. Ela é sal e luz. Ela é perfume de Cristo. Ela é carta de Cristo. Ela é boca de Deus e monumento da graça de Deus no mundo. Essa igreja tem qualidade e também quantidade. Ela cresce para o alto e também para os lados. Ela tem vida e também números.

Temos hoje dois extremos: numerolatria e numerofobia.

• Qualidade gera quantidade.

a) A igreja crescia em números.

b) A igreja crescia diariamente.

c) A igreja crescia por adição de vidas salvas.

d) A igreja crescia por ação divina.

• Vejamos o crescimento da igreja: 

1) Atos 1:15 – 120 membros

2) Atos 2:41 – 3.000 membros

3) Atos 4:4 – 5.000 membros

4) Atos 5:14 – Uma multidão é agregada à igreja

5) Atos 6:17 – O número dos discípulos é multiplicado

6) Atos 9:31 – A igreja se expande para a Judéia, Galiléia e Samaria

7) Atos 16:5 – Igrejas são estabelecidas e fortalecidas no mundo inteiro.

1. Ricken Warren disse que a pergunta errada é: O que eu devo fazer para a minha igreja crescer? A pergunta certa: O que está impedindo a minha igreja de crescer.

2. Nossa igreja tem feito diferença na nossa cidade? No nosso Estado e no País?

CONCLUSÃO

1. Você é um crente cheio do Espírito Santo? Você é um crente de oração? Você tem falado das grandezas de Deus? Você tem experimentado o poder de Deus? Você tem pregado a palavra de Deus?

2. Hoje, você pode transbordar. Jesus prometeu: "Quem crêr em mim, como diz a Escritura, rios de água viva fluirão do seu interior".

3. Você quer tomar posse hoje dessa vida superlativa?

Audio: http://www.youtube.com/watch?v=woKkJj_ZPk0

Hernandes dias Lopes

3 comentários:

Sebastião Marques disse...

infelismente muita gente esta perdendo a sensibilidade da palavra de deus,estão pregando mais não estam vivendo o que prega.esquece que temos de ser muito mais praticante do ouvinte,temos tambem que ser aprovado,e muitos estam se aprovando e não sendo aprovado.pr snm gov valadares.

Sebastião Marques disse...

que pena que as pessoas estao se aprovando e não sendo aprovadas p/deus.por isto que não se ver mais tres mil convertido,o espirito santo não e mais reverenciado mais nas igrejas. pr sebastiao,gov valades.

Sebastião Marques disse...

que pena que as igrejas em geral estam perdendo a sensibilidade da palavra.por isso não vemos mais tres mil convertidos de tantas heresias e ganancia,não se falam mais de salvaçao so dizimos e ofertas.sebastiaomarques10@gmail.com